top of page
  • Foto do escritorRené Santos Neto

Curitiba 2024: As movimentações de Sérgio Moro e do polo lavajatista

A política paranaense, sempre surpreendente, está, mais uma vez, sob os holofotes com a perspectiva das eleições municipais de 2024 em Curitiba. O cenário ganha uma complexidade adicional com a entrada de figuras proeminentes ligadas à Operação Lava Jato, em especial, Sérgio Moro e, potencialmente, sua esposa, Rosângela Moro.


1. O panorama de Sérgio Moro

Sérgio Moro, ex-juiz e atual senador pelo Paraná, parece estar consolidando seu espaço na política estadual. Isso fica evidente com suas recentes interações com prefeitos, como evidenciado pela reunião esse mês com a AMUNORPI, que tem forte influência no Norte Pioneiro do Paraná. Tais movimentos apontam para um claro interesse no Palácio Iguaçu em 2026.


2. A entrada de Rosângela Moro

Contudo, o que poderia ser o grande divisor de águas para a direita lavajatista é a potencial candidatura de Rosângela Moro à Prefeitura de Curitiba. Apesar de ser deputada federal por São Paulo, há jurisprudência que permite sua candidatura, o que sugere uma possível mudança no quadro eleitoral de 2024 em Curitiba.

Sua entrada não seria apenas uma tentativa de conquistar o cargo, mas uma estratégia para solidificar o polo lavajatista na política paranaense. Mesmo que não vença, sua presença já indica o fortalecimento dessa corrente, e, consequentemente, potencializa as chances de Sérgio Moro em 2026.


3. A complexidade do xadrez político

A cassação de Deltan Dallagnol, aliado de Moro, certamente afeta as estratégias da direita. A resposta, contudo, pode estar dentro de casa. A candidatura de Rosângela não apenas preencheria essa lacuna deixada por Dallagnol, mas também serviria como um barômetro para testar a capacidade de transferência de votos daqueles ligados à Lava Jato.


4. Sérgio Moro em 2026: Palácio Iguaçu no horizonte

Independentemente do resultado em 2024, o cenário sugere uma estratégia mais ampla. A mobilização de Moro pelo interior do Estado, aliada à possibilidade de candidatura de sua esposa, demonstra uma preparação para um lançamento rumo ao Palácio Iguaçu em 2026.


5. Os desafios e a política paranaense

Apesar das ambições, Moro enfrenta desafios significativos. As ações que acusam o senador de abuso de poder econômico e uso de caixa dois nas eleições de 2022 ameaçam seu capital político. Além disso, a política paranaense, especialmente em Curitiba, é multifacetada, e uma eventual candidatura de Rosângela Moro pode provocar realinhamentos inesperados entre diferentes grupos políticos, incluindo uma potencial frente ampla entre centro-direita e centro-esquerda.


Conclusão

O cenário político de 2024 em Curitiba está longe de ser definitivo. No entanto, a potencial entrada de Rosângela Moro na disputa traz uma nova dimensão à corrida eleitoral, não apenas pelo cargo em si, mas também pelo que sinaliza para o futuro político do Paraná e, especificamente, das ambições de Sérgio Moro. A política curitibana, já rica em nuances e desdobramentos, promete ser um dos principais focos de atenção no ciclo eleitoral que se aproxima.




75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page